segunda-feira, 23 de abril de 2018

MEU REI...


Agradeço, penhoradamente, à amada
e exímia poetisa Luiza De Marillac Michel,
por essa lembrança tão querida que me
provoca momentos supremos e infinitos.


                                                      
                                    





HOMENAGEM DE ANIVERSÁRIO
AO AMADO ANTENOR ROSALINO

Brilha o sol no amanhecer deste dia
Cantam os pássaros em sinfonia
Soberba forma de minha recepção
Fazendo tão bem ao teu coração

Purpurinas caindo no horizonte
De raios solares como diamante
Um dia iluminado no calendário
Marcando o teu sublime aniversário

Data certa marcada a cada ano
No calendário de Nosso Amor
Apenas a esperança de êxito sempre
E o mistério da vida a nos abençoar

Uma nova vida recomeçará
Um novo sonho se perpetuará
Em mais um ano para comemorar
A maravilha de estar com Meu Rei

Mais um ano que fica para trás por ser
Do tempo, que faz questão de não esquecer
O dia do seu aniversário tão aquecido
Receba meu beijo doce como mel...

Feliz Aniversário

                                    Luiza De Marillac Michel





domingo, 22 de abril de 2018

NEVE EM TOCHA...


  Dueto com a amada e exímia
poetisa Luiza De Marillac Michel    





            Toda a neve que me deslumbra
            Em passeios movidos pelo amor
            Agasalhas meu coração invernal
            Não há rocha escarlate a abrandar

            Desta neve em puro algodão doce
            Vou banhar-me em frio só universal
            São flocos brancos duma natureza
             Assim é o amor - cai todo derretido

             Em neves onde a vida também é leve
             Não há frieza pétalas voando ao vento
             São como flores duma linda cerejeira
             O corpo brinca com pedaços de gelo


             Lá bem no horizonte a neve Me deterá
             Quero manchar dum vermelho paixão
             Todo floco branco anestesiado em chão
             Tua mão deixo manto coberto coração..

                     Luiza De Marillac Michel



              A neve emoldura o cenário
              Do circunstancial que hiberna
              E os passeios diversivos transformam,
              Num átimo, as folhas secas sem vida.

              Brancas neves de alfenim
              Traz langor às ruas desertas
              Enquanto os arvoredos em pêndulos
              Dançam e brincam com a neblina

              A beleza natural fecunda as pétalas
              Animadas por chamas divinais
              Olhares perplexos se perdem em máscaras
              Esculpidas nas sendas matinais

              Detenho-me a pensar na amplidão
                                                 Povoada por laivos carmesins do amor
                                                 E tu não sentirás frio na noite escura
                                                 Sob a égide azul do meu coração.


                                                                Antenor Rosalino

UM CANTO AO ANTENOR


Homenagem recebida da amada diva da poesia
Luiza De Marillac Michel, a quem agradeço,
penhoradamente, envaidecido e honrado.

                                       
                                     

                    Adorável Antenor Rosalino:

                    Procura-se uma alegria
                    Uma mala vazia
                    Do final de ano
                    Eis que tenho na mão
                     - flor do cotidiano -
                    E voo de um pássaro
                    É uma nova canção.

                    Se apressam os borbulhantes
                    A esperança reluz alfaias
                    De sonho e de amor: Alianças
                    Água que vira pura canção
                    Bolos que desfazem os anos

                    O canto começa sob matizes
                    Pelas cidades já se apressam
                    Terras dos araçás e do mestre.
                    As contagens terminam,
                    E os fogos nos alucinam.
                    Chegando um novo ano...

                     Luiza De Marillac Michel


sexta-feira, 20 de abril de 2018

CRAVADAS EMOÇÕES...


  Dueto com a amada e exímia
poetisa Luiza De Marillac Michel


                                                          
                        

                       
CRAVADAS EMOÇÕES...

Cadeiras Que Solitárias
E o Horizonte Clamando
Versos De Um Lindo Verão
Sem As Variantes Inoportunas
Tua Sombra Surge Junto À Lua

Olhares Às estrelas heteronímicas
Alforria Nossas Almas Transitórias
Ilustração Aviltada Pós-simbolista
Nas Florestas Lagos Reis Exasperam
Corpos flutuam Sob Versos Gloriosos

Contraditória Reserva Do Belo
Frequenta Viagem Nossos Sonhos
Substancialmente Realizáveis
Reordenadas E Explícitas Visões
Abraçamo-nos Transe Das Emoções...
  
              Luiza De Marillac Bessa Luna Michel



Um clamor se faz no horizonte longínquo
Disseminam-se versejos no alvor do veraneio
Distantes de inoportunos estratagemas
Candelabros de emoções insurgem
Nos faiscantes mimos de tua silhueta.

Um transbordar de puras emoções
Irradia a liberdade dos corpos que flutuam
Sob o eflúvio de cânticos nas alturas
Num apogeu glorificado ungido em sonhos
Pelo teu hábito de exaltada ternura.

Num ápice visionário de quimeras
Enlaços de abraços no reino de alforria
Visões etéreas norteiam nossos destinos
E na noite insone a reluzir no neon das ruas
Bailam nossas emoções em eternas fantasias.


                                                                Antenor Rosalino

terça-feira, 17 de abril de 2018

No Mar...



Dueto com a amada e exímia
poetisa Luiza De Marillac Michel



                       
                       
                        



Foi no mar que tudo começou
A mão que pedia para escrever
os olhos, cheios de brumas
que me ditavam os versos
e os vertiam na alma

     Luiza De Marillac Michel



A alma exposta no esplendor da maresia
Acolhia flores poéticas do infinito
E as mãos delicadas, num divinal impulso
Traçavam beijos em versos holísticos
Pelas dunas desertas e tristes.

              Antenor Rosalino



sábado, 14 de abril de 2018

DO SEGREGO NOSSO...


Dueto "Do segredo nosso" com a amada e
exímia poetisa Luiza De Marillac Michel

                                                    
                           


               Para o audaz sonho
               Proponho redenção
               Naquelas núpcias
               Loucas carícias
               ... Com sedução!

               Porto seguro
               O que procuro
               Vou contigo sempre
               Eu quero abrigo
               ... És minha emoção!

               Há sim porque
               Lembrar-se do mistério
               Que envolveu-nos há tempos 
               O sol já  brilha aqui sem queimar
               O mundo explode em  sete mil cores !

               Conquistamos o momento de êxito.
               Tentação desse imaculado Segredo 
               Uma única célula a formar o universo
               Onde só  essencial vigorará sempre
               O ímpeto de nossos corpos a estremecer...

         Luiza De Merillac Michel


                        
               Audacioso sonho...
               Proposta quimérica
               De núpcias festivas
               Sedutora odisséia
               De amor sempiterno

               Acolhimento perpétuo
               De almas afins
               Que se procuram felizes
               Entre lírios que brilham
               Em arrebóis carmesins

               Um sol diáfano brilha
               Envolvendo-nos em magia
               Doces mistérios, lembranças,
               Aspectos estelares...
               Remansos do nosso ninho!

               Nossas conquistas configuram
              Célula única de êxito
              Da paixão que revigora
              O rosário da existência
              No fascínio dessas horas


            Antenor Rosalino

domingo, 8 de abril de 2018

REINAS...


   
Dueto "Reinas" - Luiza De Marillac Michel e Antenor Rosalino

                                    
                                 
                          

Te amo como a planta que não floresce e leva
Dentro de si, oculta a luz daquelas flores 
Graças a teu amor vive claridade em meu corpo
O tão apertado aroma que ascendeu da terra. 


Talvez te vi, te supus ao passar levantando uma taça
Na Espanha, à luz da lua de junho, brindávamos
Ou eras tu a cintura daquela guitarra chamando
Toquei nas trevas e ressoou como o mar desmedido. 

Te amo sem saber como, nem quando, nem onde 
Te amo diretamente sem problemas nem orgulho
Assim te amo porque não sei amar de outra maneira.  

Enquanto ias comigo te toquei e se deteve minha vida
Diante de meus olhos estavas, regendo-me, e reinas.
Como fogueira nos bosques o fogo é teu reino. 

                                              Luiza De Marillac Michel



O amor latente como a flor entre espinhos
Desfaz as intempéries do mundo sombrio
E sob gardênias perfumadas pelo chão
Caminho, afortunado, segurando a tua mão.

Na suposição dos teus sonhos quiméricos
No esplendor do plenilúnio en España
Minha voz proclama o teu lindo nome
Que ecoa pelos ventos em longínquos montes

O amor nasceu assim sem mais nem por quê.
Como o pensar do poeta no mundo das nuvens
Mas amo-te assim, instigante em mim.

Detendo-me na contemplação de tua rara beleza
Vejo em teu olhar luminância de esmeralda de alto quilate
E me vejo acolhido na tua glória escarlate


                                                 Antenor Rosalino